Siga o blog por Email

MEDITAÇÃO DIÁRIA

domingo, 2 de setembro de 2007

Avaliação Postural - Tabela

A avaliação da postura é fundamental para o equilíbrio e também na prescrição de exercícios. Sendo assim, uma abordagem mais profunda sobre os problemas se fará necessária aqui neste livro.

Veja que poderemos realizar dois tipos de avaliação: a quantitativa e a qualitativa. Neste livro só iremos abordar a qualitativa, pois não necessita de grandes equipamentos, nem tão pouco cálculos matemáticos, mas seguramente deverá ter o executante da análise uma boa sensibilidade e domínio das variações.

A proposta deste capítulo é apenas identificar as alterações posturais e classifica-la quanto à gravidade, desta forma possibilitando aos profissionais competentes uma abordagem mais segura na prescrição dos exercícios.

O objetivo principal desta análise é observar as acentuações e retificações das curvaturas da coluna, acentuações nas mobilidades articulares, desnivelamento de cinturas, projeções de determinadas regiões e qualquer outra alteração acima da normalidade.

Para se fazer uma boa avaliação postural qualitativa, deve-se ter alguns princípios:

1. possuir um bom referencial de alterações postural, como um retináculo ou similar para desníveis;

2. O avaliado deverá possuir a menor quantidade de roupa possível, ou seja, para homens calção de banho (sunga) e mulheres sunquini ou biquíni.

3. possuir um ângulo de visão de não ultrapasse alguns metros para não perder a definição das alterações;

4. Inicia-se com o avaliado na posição posterior para o avaliador com os pés próximos;

5. A avaliação inicia-se sempre de baixo para cima, ou seja observando os calcanhares até atingir a cabeça;

6. Depois se posiciona o avaliado em qualquer perfil, para depois observar o outro;

7. Por último, o perfil anterior, sempre com a mesma estratégia, ou seja, de baixo para cima;

8. Anotam-se todas as observações em papel pré-fixado as variáveis e qualificando de acordo com alguns referenciais.

As qualificações poderão seguir diversos critérios. O importante é que se crie um e o assuma para todas as futuras avaliações. Pois não adiante observar uma acentuação do arco lordótico lombar, sem classifica-la em que graduação esta se apresenta. Pois uma coisa é ter uma pequena acentuação e outra é uma severa acentuação. Para a prescrição dos exercícios, isto realmente é muito importante.
Assim, minha sugestão seria:

1. Discreta (grau I) – quando a observação é feita com muito detalhe para se chegar às conclusões. Tem-se dificuldade de encontrar aquela alteração da normalidade;

2. Moderada (grau II) – Quando a observação é fácil de ser observada, sem grandes preocupações ou dúvidas, porém sem ser algo que chame muita a atenção;

3. Severa (Grau III) – Quando o avaliador se espanta com tamanha alteração. Chega a ser visível para qualquer leigo, sendo necessário sempre uma opinião médica para melhor diagnóstico.

Lembre-se que apesar da experiência de qualquer avaliador, é sempre possível observar algo que para outro avaliador seja diferente. Isto porque esta avaliação é subjetiva, cabe a cada profissional um treinamento adequado para minimizar os erros interavaliador e até mesmo o intra-avaliador.
A seguir iremos apresentar um instrumento de coleta das informações da avaliação postural qualitativa:


Neste instrumento, basta apenas assinalar em qual qualificação lhe parece o quadro e depois informar o lado em que está, se é que cabe este tipo de análise na região observada.

· Pé cavo – acentuação do arco plantar. Vista no plano frontal com os pés afastados;

· Pé plano – redução do arco plantar. Vista no plano frontal com os pés afastados;

· Tornozelo pronado – visto no perfil posterior no plano coronal, quando o calcâneo gira para dentro em relação a perna;

· Tornozelo supinado
– Exatamente o oposto do anterior;

· Tornozelo abduzido
– Quando a coxa estiver alinhada no marco zero, e o pé estiver ligeiramente rodado externamente. Vista no perfil superior no plano transverso;

· Tornozelo aduzido
– exatamente o oposto do anterior;

· Tíbia vara
– visto no perfil anterior plano coronal, é quando há uma acentuação da curvatura da tíbia se torna evidente;

· Joelho valgo
– Com uma linha imaginária entre a perna e a coxa, forma-se um ângulo externamente, projetando os joelhos para dentro;

· Joelho varo
– exatamente o oposto do anterior;

· Joelhos recurvatum
– visto no plano sagital, a linha que imaginamos entre perna e coxa, é formado um ângulo inferior a 180º na parte anterior, projetando os joelhos para trás;

· Joelho flexo
– exatamente o oposto ao anterior;

· Coxa em rotação externa
– muito confundida com pés abduzidos. Lembre-se que o pé não abduz e sim o tornozelo. Observe se os posicionamentos dos pés estão relacionados com a coxa. Se todo o segmento (patela, coxa, etc) estiverem em rotação, pode ter certeza que foi a coxa quem rodou.

· Coxa em rotação interna
– exatamente o oposto;

· Pelve desnivelada
– Inclinação da crista ilíaca em relação a outra para um dos lados, tornando-a mais alta. Geralmente devido a diferença de segmentos. Observe o lado mais alto;

· Anteposição pélvica
– Posição adquirida devido a extensão lombar e flexão de coxo-femoral;

· Retroposição pélvica
– exatamente o oposto;

· Cintura escapular desnivelada
– Como na pelve, apresenta-se com a elevação de um dos ombros. Geralmente provocada pela escoliose, mas também pode ser em função dos encurtamentos musculares;

· Acentuação lordótica lombar
– A curvatura fisiológica lombar, que é a lordose, foi acentuada. Vista no perfil sagital. Pode-se atribuir graus de inclinação. Não usar o termo hiperlordose deliberadamente.

· Retificação lordótica lombar
– O oposto. Quando a curvatura deixa de existir em função de um novo posicionamento das vértebras Sugere-se anteposição pélvica;

· Acentuação cifótica torácica
– Mesmo que na lombar. Porém o acometimento se dá em uma curvatura de convexidade posterior, tornando o sujeito inclinado para frente.

· Retificação cifótica torácica
– O oposto ao anterior. A vista será a postura mais ereta, porém não fisiológica;

· Acentuação lordótica cervical
– Como na lombar, provoca proeminência da sétima vértebra cervical ou a primeira torácica. Costuma projetar também a cabeça à frente;

· Retificação lordótica cervical
– Uma postura que normalmente provoca alterações em todo o resto do corpo, devido ao posicionamento da cabeça;

· Triângulo de tales
– ao desnivelar a pelve, haverá uma abertura maior entre um dos braços e o tronco. Normalmente do lado oposto a inclinação;

· Retroposição da cintura escapular
– Quando o complexo retroage em função de encurtamento muscular ou pela postura retificada da cifose torácica. Tende a projetar os ombros para trás. Vista no plano sagital;

· Anteposição da cintura escapular
– O oposto ao anterior. Não há relação direta com a acentuação da cifose, mas poderá estar presente;

· Ombros em rotação interna
– A dica é observar a interlinha articular do cotovelo pelo perfil anterior, pois caso haja a rotação interna, esta não é visível neste perfil, ou se tem grande dificuldade de se observar;


· Ombros em rotação externa
– Ao contrário da anterior, com facilidade de observação da linha interarticular, e também com a palma da mão voltada para frente;


· Cabeça anteposicionada
– como o nome sugere, a cabeça se torna protusa, pode ser gerada pela flexão de cervical, ou pela extensão, pois a cervical possui dois pilares. Importante é observar se um ponto perto do meato acústico externo está muito projetado à frente;

· Cabeça retroposicionada – exatamente o oposto da anterior;


· Escápulas
– esta poderá estar posicionada de diversas formas, mas esta é fácil perceber pelo que sugere o próprio nome;


· Escoliose
– O lado da convexidade é quem determina para que lado está a curvatura não fisiológica;

· Gibosidade – Ao flexionar as U.M., observa-se que a massa corporal de um dos lados está mais elevada do que outra. Isto pode ser pela rotação automática e estrutural das U.M., ou pelo encurtamento muscular. Nem sempre o lado da gibosidade é o lado da escoliose, mas é mais comum;

2 comentários:

  1. muito legal parabéns
    me ajudo muito no meu trabalho

    ResponderExcluir
  2. Bom dia gostei da tabela mas não consigo visualiza seria possivel me mandar por email?

    ResponderExcluir