Siga o blog por Email

MEDITAÇÃO DIÁRIA

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

TÉCNICAS FISIOTERÁPICAS

ANTIGINÁSTICA - Thérèse Bertherat

Conceito

Método de Terapia Corporal, cujos movimentos, concebidos a partir do princípio básico do Método Mézières, pretendem despertar para a consciência de uma experiência nova o que é ir bem.

Princípios

  • A única causa de toda deformação corporal é o encurtamento (inevitável) da musculatura posterior.

  • A estrutura determina o comportamento;

  • Somos todos (potencialmente) belos e bem-feitos;

  • "Agente não fica doente de uma hora para outra; a gente vai pouco a pouco se deixando ficar doente (donde a necessidade de tomar consciência do próprio corpo enquanto ele está relativamente sadio)";

  • Ninguém consegue ensinar-lhe o que você já não sabia;

  • A autonomia é desejável e atingível.

Fundamentos

  • O corpo faz parte de um sistema integrado;

  • Antiginástica não é um método de alívio;

  • Transformação concomitante da estrutura interna e exterma;

  • O método propõe uma atitude não-diretiva por parte do terapeuta;

  • O ritmo do trabalho é determinado pelo paciente, que tem liberdade de recuar ou avançar;

  • Tomada de consciência.

O GRUPO

Todo trabalho da antiginástica resume-se nisto: movimentos ínfimos e novos que,pouco a pouco, possibilitam aos ossos encontrar o lugar exato nas articulações; aos músculos posteriores perder um pouco de sua força excessiva; aos músculos anteriores, que não constituem uma linha contínua, unir-se e recuperar a força que lhes havia sido tomada; perceber com extrema precisão como você de fato se mexe.

Em grupo, o trabalho se faz de dentro para fora, isto é, o participante é quem faz os movimentos que só ele pode sentir e dos quais só ele, através das sensações, pode avaliar a amplidão e a exatidão.

O TERAPEUTA

Quem deve ser o terapeuta do corpo ?

  • Reconhecer que não se modifica impunemente a estrutura corporal de um ser;

  • É preciso que esteja em bom contato com suas próprias emoções para não bloquear as dos outros;

  • É preciso ter enfrentado seu próprio sofrimento;

  • Que tenha ouvidos para captar os subentendidos, que escute o que é calado.

MARP - Morfo Análise e Reajuste Postural (Terapia Morfo-Analítica)

AXIOMA: O bom equilíbrio está diretamente ligado ao desenvolvimento da sensibilidade profunta física e emocional.

HISTÓRICO

Elaborado por Serge Peyrot, a partir de sua prática intensiva do método Mézières e de um contínuo trabalho de pesquisa.

PRINCÍPIOS

  • O Terapeuta Corporal não trata uma doença ou um sintoma, mas sim um ser total - Um Todo Psicossomático;

  • Buscar a autonomia do ser humano - Unidade Corpo-Mente;

  • Aquisição da consciência profunda da realidade corporal - Trabalho Proprioceptivo Contínuo;

  • Favorecer a Globalidade, num corpo mais Livre - Consciente - Vivo - Reencontrado;

  • Possibilitar uma tonicidade equilibrada;

  • Causalidade;

  • Despertar as sensações.

FUNDAMENTO

  • Funcionamento do corpo em Cadeias Musculares - solidariedade músculos aponeurótica , tanto na dinâmica como na estática;

  • Dor - resultado de cadeias de compensação que vamos tentar descender; sendo somente a expressão parcial de um conjunto de desequilíbrios; em geral encontra-se longe da causa primária;

  • Os dismorfismos não são devidos a uma falta de força, mas a um excesso de tensão muscular e aponeurótica;

  • O homem não é achatado pela gravidade, mas suas próprias forças;

  • Operação - postura globais de estiramento ativo para alongar as cadeias: muscular, tendinosa e aponeurótica;

  • Tensão Muscular - é o que dá forma ao corpo. Ao longo dos anos, os gestos e atitudes vão modelar as formas do corpo, favorecendo a hiperatividade de certos grupos musculares. Estes gestos e atitudes são uma expressão do seu interior, carregados de psiquismo; Estas tendências vão gerar Hipertonicidade, Fobrose, Retrações, Rigidez e tudo isso se organiza sempre em detrimento da Elasticidade.

  • R.A.A.P. (dor longe de causa / dor como resultado de cadeias de compensação / tentamos sempre fugir da dor e também fazer com que ela não apareça).

LEIS DE SUPREMACIA

  1. Horizontalização do olhar;

  2. O centro de gravidade cai no polígono de sustentação;

  3. As extremidades do corpo são sempre atingidas por último.

O TRATAMENTO

Aonde se quer chegar ? Tipo único ?

Observamos as dominâncias morfológicas e tentamos lutar contra o excesso destas.

  • Posturas de estiramento global;

  • Atenção particular à Respiração;

  • As porturas globais do MARP pedem uma participação intensa e ativa do paciente (física mental, emocional). Assim, o terapeuta não pode ultrapasar o limite do paciente;

  • O morfo-analista convida o paciente para um trabalho mental contínuo de aceitação das tensões e das reações neuro-vegetativas, físicas e emocionais - Responsabilidade no Tratamento;

  • O MARP insiste no desenvolvimento da propriocepção para facilitar a integração do reajuste postural e garantir a estabilidade dos resultados:

CORREÇÃO DA IMAGEM CORPORAL

COORDENAÇÃO NEURO-MUSCULAR

  • O terapeuta ajuda o paciente a levar em conta o conteúdo emocional dos conjuntos de tensões mantidas em seu corpo através do enrijecimento do aparelho locomotor (hipertonias e retrações ligadas a bloqueios psicilógicos, emoções reprimidas, ações impedidas, projeção, identificações, medos, etc);

  • É um convite constante à verbalização e aceitação das próprias sensações internas para poder tornar consciente o inconciente corporal;

  • A reorganização da postura de faz de maneira suave e gradual, levando em consideração os aspectos físicos, proprioceptivos e emocionais de cada paciente.

RPG - Redução Postural Global (Philippe - Emmanuel Souchard)

O método do Campo Fechado - 1970

Visão Revolicionária: Tratar de forma diferente a musculatura estática e a musculatura dinâmica

Mudança radical na Fisioterapia para o tratamento de:

  • Desvios porturais;

  • Dores causadas pelos desvios posturais;

  • Deformidade;

  • Dor pós-imobilização;

  • Etc.

FUNDAMENTOS

  1. Individualidade;

  2. Causalidade;

  3. Globalidade.

PRINCÍPIOS DO TRATAMENTO

  1. Alongamento dos músculos da estática: uma vez que estes músculos tendem sempre ao encurtamento, será preciso alonga-lo para devolver-lhe a "força ativa" e a flexibilidade. Como ? Fixando as extremidades em posição excêntrica, aumentando o comprimento gradativamente, alinhando rigorosamente os segmentos e evitando qualquer compensação produzida por qualquer uma das inúmeras funções dos músculos estirados.

  2. Trabalho expiratório: cada exercício de estiramento deve ser feito impedindo-se o bloqueio inspiratório e, por outro lado, insistindo na expiração que deve ser progressivamente mais ampla.

  3. Posturas: os estiramentos progressivos devem ser mantidos o maior tempo possível, já que o tempo é um fator influente na fluagem e o tônus dininui em estiramentos prolongados. As posturas que correspondem ao trabalho proprioceptivo de inibição facilitam os músculos antagonistas, ao passo que inibem os agonistas. As sessões têm duração mínima de uma hora.

  4. Trabalho muscular: as posturas são essencialmente ativas, Realiza ao mesmo tempo o exercício concêntrico dos músculos da dinâmica enfraquecidos, o exercício excêntrico dos músculos da estética retraídos, liberação expiratória e reequilíbrio do tônus postural.

  5. Determinação das causas: a difusão dos reflexos antálgicos nos leva a supor que as causas de um determinado comportamento nunca se encontram no lugar em que se manifesta a dor.

FUNÇÕES HEGEMÔNICAS

Para assegurar a vida um certo grupo de funções deve ser preenchido: as Hegemonias.

  • Imperativas;

  • Necessárias;

  • Indispensáveis;

  • À manutenção da vida;

  • À sobrevivência do homem;

  • Devendo ser asseguradas a cada momento sejam quais forem as circunstâncias.

Funções: Vegetativas (digestão, circulação, respiração)

Mistas (respiração, nutrição, reprodução, locomotora, estática)

FUNÇÃO RESPIRATÓRIA

Não existe sobrevivência possível sem mobilidade do diafragma. Este é comparável ao movimento de um pêndulo que mede nosso tempo de vida.

A inspiração marca sua supremacia sobre a expiração:

  • Tempo motor: inspiração > expiração;

  • Quando se solicita uma expiração ... primeiramente temos uma inspiração ;

  • Os músculos dinâmicos da expiração só vão até a quarta costela.

FUNÇÃO ALIMENTAR

No princípio é assegurada de forma inata - na mamada através do reflexo de sucção. Muitas vezes está presente na sucção do polegar - início domovimento que traz o alimento à boca.

Função de Preensão: Abdução do braço + Flexão do cotovelo + Flexão dorsal do punho + Flexão dos dedos

A preensão e o "trazer a si" marcam sua supremacia muscular sobre o padrão oposto.

FUNÇÃO ESTÁTICA

Todos os movimentos de endireitamento começam pela cabeça, visando autonomia estática.

Supremacia: 2/3 dos nossos músculos são estáticos

CONCLUSÃO

Qualquer método sensato de reeducação deve:

  • Renunciar ao intuito de fortificar os esponhais, que não são fracos demais, mas sim excessivamente curtos e resistentes;

  • Renunciar ao intuito de fortificar os músculos da dinâmica, pois isto de modo algum contribui para o relaxamento dos músculos da estática;

  • Banir qualquer tratamento segmentar ou analítico;

  • Evitar o bloqueio respiratório.

Por outro lado, é preciso:

  • Lutar contra a retração dos músculos da estática;

  • Estirar de maneira global o conjunto desses músculos, em todas as suas funções;

  • Corrigir mediante tração, a acentuação das curvaturas;

  • Liberar o bloqueio respiratório.

Nenhum comentário:

Postar um comentário